12 de abr de 2015

Vício Solitário


A prática do onanismo entre alunos de internatos era uma preocupação e objeto de estudo de muitos médicos no século XIX. Para eles, a vida reclusa contribuía para propagar e agravar a prática das “manobras secretas” entre os meninos e as meninas. Para reprimir o “terrível inimigo” entre os colegiais, os médicos indicavam um conjunto de “regras higiênicas” direcionado aos diretores dos colégios, aos professores e às famílias, já que consideravam a masturbação como capaz de causar ou contribuir para o aparecimento de doenças como a tuberculose e a epilepsia. A chegada do século XX não fez desaparecer o alardeio repressivo contra a prática da masturbação entre internos de colégios, entretanto, já haviam médicos que discordavam dessa tese dominante.Nos internatos, dali para frente, a perseguição ao onanismo seria fundamentalmente religiosa.