5 de nov de 2013

Isso foi no Brasil


Romaria ao Caldeirão da Santa Cruz do Deserto, Crato-CE. Ali, em 1937, ocorreu o primeiro registro de bombardeio militar a civis pela FAB no Brasil. Realizaram-se ataques aéreos e terrestres pela FAB, Exército e PM do CE a uma comunidade acusada de comunista apenas por produzir e dividir coletivamente algodão, frutas diversas, ferramentas, etc. Os registros oficiais apontam apenas 400 mortos, mas calcula-se que foram mais de 1000, muitos decapitados ainda vivos. Como os viventes da comunidade usavam preto em luto pela morte de Pe. Cícero Romão Batista, vários outros moradores da Chapada do Araripe foram confundidos e mortos. O beato Zé Lourenço, fundador da comunidade, conseguiu escapar junto a um mísero grupo e morreu anos depois em Pernambuco, vítima de peste bubônica. Atualmente, 47 famílias revivem o sonho coletivo de produção num sítio a 37 km do centro do Crato. No local encontram-se 47 casas, sendo que 44 de alvenaria e uma escola. As famílias residentes mantém uma horticultura orgânica e uma lavoura para abastecimento próprio.